Portugal é grande quando abre horizontes

19
Jul 17

http://portugues.tdm.com.mo/radio/play_audio.php?ref=8981

Acima fica o link para os meus comentários desta semana no Magazine Europa da Rádio TDM de Macau.

Falo do véu islâmico, das distintas dimensões da aliança entre a França e a Alemanha - sobretudo na área da defesa -, e finalmente, sobre a Turquia e o seu relacionamento com a UE.   

publicado por victorangelo às 21:31
 O que é? |  O que é? | favorito

12
Jul 17

http://portugues.tdm.com.mo/radio/play_audio.php?ref=8957

Acima vos deixo o link para os meus comentários desta semana na Rádio Macau sobre a UE.

Abordo o acordo comercial assinado com o Japão, as fricções entre J-C Juncker e o Parlamento Europeu, a presidência da Estónia neste segundo semestre de 2017 e os resultados do G20.

publicado por victorangelo às 21:13
 O que é? |  O que é? | favorito

12
Dez 15

O acordo sobre o clima, que foi aprovado este fim de tarde em Paris, constitui um importante passo em frente. Permite ter um quadro de referência oficial, que deverá guiar as acções de cada Estado no que respeita à luta contra as alterações climáticas. Assim, a atitude correcta consiste em reconhecer o valor desse acordo. Não deve haver aqui lugar para cinismos. Depois, tratar-se-á da sua implementação. Nem sempre será fácil, mas a existência de um ponto de partida globalmente aceite conta muito.

Curiosamente, o acordo foi concluído poucas horas antes da abertura das urnas em França. Amanhã terá lugar a segunda volta das eleições regionais francesas. O Presidente Hollande e os seus poderão retirar algum proveito do sucesso da conferência de Paris. É verdade que François Hollande se empenhou pessoalmente e várias vezes no processo negocial que levou a conferência a bom porto. No entanto, a sorte do partido de Hollande não será muito grande. Os dados foram lançados no domingo passado, na altura da primeira volta, e o Partido Socialista de François Hollande não terá amanhã grandes hipóteses. Mesmo se recuperar alguns votos por causa da projeção que a conferência deu aos seus dirigentes.

Também é um facto que as negociações colocaram Laurent Fabius, o ministro dos Negócios Estrangeiros da França e presidente dos trabalhos da COP21, numa posição muito forte. Se não tivesse a nacionalidade francesa, Fabius passaria agora a ser um candidato de muito peso ao posto de Secretário-Geral da ONU. Só que um cidadão dos Cinco Permanentes não pode ser eleito Secretário-Geral.

publicado por victorangelo às 20:14
 O que é? |  O que é? | favorito

02
Dez 15

"Existe hoje uma consciência muito mais apurada da urgência da resposta ao aquecimento global. O processo que começou em 1992, com a conferência do Rio de Janeiro sobre o meio ambiente, ganhou uma vastíssima gama de apoiantes. Muita gente, um pouco por toda a parte, sobretudo nos países que mais pesam em termos de emissões de dióxido de carbono, sabe que é preciso tomar medidas que evitem um aquecimento superior a dois graus centígrados. A opinião pública pode, assim, exercer uma pressão significativa sobre as opções políticas."

 

(Extraído da minha crónica de hoje na Visão online, intitulada  Paris entre o clima e a pobreza )

publicado por victorangelo às 21:04
 O que é? |  O que é? | favorito

02
Abr 14

Na altura de decidir que meio de transporte iria utilizar para me deslocar ao hospital, do outro lado da cidade, lembrei-me da publicação, nesta segunda-feira, do quinto relatório da Painel Intergovernamental da ONU sobre as Mudanças Climáticas. O relatório, que resulta do trabalho colectivo de 837 cientistas de renome, espalhados pelo mundo, é bem claro sobre a necessidade de mudar de vida, tão depressa quanto possível, para que se possa ainda evitar o pior cenário, em termos de aquecimento global.

 

Vale a pena ler o relatório. Como também seria útil que a comunicação social aproveitasse melhor as principais conclusões que dele constam e as divulgasse. É um assunto muito sério, com consequências globais. Precisa de entrar na agenda da opinião pública e fazer parte integrante das preocupações das forças políticas.

 

Mas voltando à decisão que tinha que tomar, e por ter acabado de folhear o relatório em questão, acabei por me descobrir a comparar custos. Não apenas os custos monetários -2,20 euros de elétrico, quase 20 euros, se fosse de carro, adicionando o valor da gasolina ao do estacionamento – nem tão pouco os custos em termos de tempo de trajecto: 41 minutos de eléctrico, um pouco mais de 30, indo de carro. Pensei nos custos ecológicos: 264 gramas de emissões CO2, no transporte público, contra 1391 gramas, caso utilizasse o meu veículo.

 

Qual foi a decisão que tomei?

publicado por victorangelo às 17:16
 O que é? |  O que é? | favorito

12
Dez 11

Cada um tem a sua crise.

 

No caso dos Estados Unidos, nem quero acreditar que um fulano como o ultra-reaccionário Newt Gingrich poderá estar, dentro de um ano, a semanas de ser investido como Presidente. Se isso vier a acontecer, e a possibilidade existe, a política internacional dos EUA será extremamente negativa no que respeita às Nações Unidas, à Palestina, África e a certas questões globais, como por exemplo, as alterações climáticas e a cooperação internacional. Internamente, haverá um retrocesso em termos sociais, de valores e de tolerância. 

 

Gingrich é mais um pesadelo num horizonte já bastante carregado.

 

publicado por victorangelo às 22:12
 O que é? |  O que é? | favorito

28
Out 11

 

 

 

Ainda há quem não acredite no aquecimento global. Veja-se a tendência que este gráfico revela. Que não é só de agora, que remonta aos anos 20 do século passado e acelerou a partir da década de 80.

 

E pense-se nas consequências deste aumento da temperatura média da terra sobre o meio ambiente, a biodiversidade e a vida de muitas pessoas.

publicado por victorangelo às 21:14
 O que é? |  O que é? | favorito

20
Mar 10

 

N'Djaména está sem ligações aéreas com o resto mundo desde Quinta-feira. Completamente isolada. Sucessivas tempestades de areia e de pó fino fecham o horizonte e paralisam a vida quotidiana. As casas, as máquinas, as pessoas, está tudo com uma camada de pó, como se fosse uma nova pele, bem espessa, que se viesse sobrepor ao coiro duro que a natureza nos deu. O pó não pede licença para entrar no íntimo das nossas vidas. Penetra por todos os orifícios, enche-nos a boca e a os miolos, fica tudo emperrado, com o sabor da terra seca a dominar-nos o pensamento.

 

Só quem tenha experimentado este tipo de fenómenos climáticos pode compreender o que é viver no meio de nuvens de poeira.

 

A minha viagem de regresso, prevista para amanhã, está agora suspensa no ar pesado que sopra dos desertos. Será que vou poder voar? Hoje à noite, o prognóstico é muito negativo.

 

 

publicado por victorangelo às 18:50
 O que é? |  O que é? | favorito

twitter
Julho 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
14
15

17
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO