Portugal é grande quando abre horizontes

10
Jul 15

Almoço e início da tarde em Serpa e a constatação que essa parte do Alentejo está a mexer e acredita que é possível trabalhar para um futuro melhor.

Deu também para notar a influência dos sítios da internet de conselho aos turistas. Os locais que aparecem mencionados no Trip Advisor, por exemplo, atraem clientes. Mesmo numa terra como esta, que está longe dos circuitos nacionais e internacionais de turismo.

 

publicado por victorangelo às 22:38
 O que é? |  O que é? | favorito

14
Out 13

Depois de vários dias de viagem, o regresso a Bruxelas foi como cair num buraco escuro. A internet estava avariada, era fim-de-semana, o apoio técnico, com visita a casa, só estaria disponível hoje, segunda-feira. Fiquei mais ou menos furioso, por não compreender que no ano de 2013 não haja assistência técnica presencial ao domingo. Mas o pessoal da Belgacom assegurou-me que hoje de manhã, e certamente antes das 14:30 teria a ajuda técnica requerida.

Passei o dia todo à espera. O jovem informático, pessoa de uma grande simpatia, o que travou as minhas ganas de o engolir vivo, chegou às 18:00 horas. Levou cerca de uma hora para consertar a coisa.

 

E esta noite, voltei das trevas, daquele inferno que é o de não estar ligado à rede.

 

Amanhã volto à escrita regular.

publicado por victorangelo às 21:50
 O que é? |  O que é? | favorito

07
Fev 11

Escrevi, para publicação, um texto sobre o Egipto, num dia em que ainda não se entende bem para que lado vão cair as coisas: reforma ou mais do mesmo?

 

Ao pesquisar a matéria, vi que alguém disse que as revoluções, nos tempos de agora, surgem quando os advogados estão a tiritar de frio, nos seus escritórios, já não têm dinheiro nem para comer um macdonald, mas continuam com acesso à internet.

 

As palavras não seriam bem estas. No entanto, a ideia é que, quando os diplomados deixam de ter perspectivas de futuro, e já não acreditam na classe política, começam a fazer a revolução através das redes sociais.

publicado por victorangelo às 17:04
 O que é? |  O que é? | favorito

06
Fev 11

Creio que ficou claro, nos corredores da conferência de Munique, que existem quatro tipos de ataques cibernéticos:

 

- Os provenientes de jovens fanáticos da informática, os chamados "hackers", que pelos mais diversos motivos e causas, todos eles muito anárquicos, resolvem atacar certos computadores;

 

- Os preparados pelos gangs criminosos, que procuram, acima de tudo, roubar contas bancárias e códigos de cartões de crédito; William Hague disse, na sua intervenção, que haverá, por ano, cerca de 13 milhões de ataques desse género;

 

- Os relacionados com a espionagem científica e industrial; a economia chinesa é a maior produtora, de longe, desse tipo de ataques;

 

- Os dirigidos contra os sistemas de computadores militares, de defesa e de segurança, bem como contra alvos de interesse estratégico; estas acções são preparadas por serviços oficiais, de governos hostis; também aqui se fala, nos cantos escondidos da conferência, da China, em particular, mas não só; sabe-se que Israel tem um centro a trabalhar nesse campo.

 

Perante isto, a que se junta os milhões de mails dos particulares, que todos os dias são filtrados pelos serviços secretos americanos, britânicos e outros, fica-se a pensar a internet é muito mais do que aquilo que se vê. É um mundo.

publicado por victorangelo às 22:10
 O que é? |  O que é? | favorito

twitter
Novembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30


<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO