Portugal é grande quando abre horizontes

25
Nov 09

 

Hoje todos criticaram a MINURCAT, a operação de manutenção de paz e de segurança na República Centro-Africana e no Chade. O embaixador francês. O Presidente do Chade. E outros. Acham que a MINURCAT não tem meios suficientes para assegurar a sua missão. 

 

Depois dos raptos e de outros incidentes contra refugiados, seria de esperar uma reacção deste tipo.

 

A questão dos meios é, na verdade, um ponto essencial. Mas não convém esquecer que os meios de que se dispõe são tão somente os que os estados membros da ONU disponibilizam.

 

Este tema merece muito pano para mangas.

 

Há que pensar a sério nas operações militares e de segurança das Nações Unidas. 

 

Em Portugal, estas matérias estão muito fora das preocupações dos políticos e dos meios académicos. Aqui, vive-se um outro mundo, fora do planeta global.

 

publicado por victorangelo às 21:36

É verdade, quando se trata de operações militares, parece que se querem resultados sem fornecer os meios.
Claro que ninguém deseja a morte ou o estropiamento dos militares, mas às vezes mandar demasiado poucos para a frente é contraproducente.
Ou não se avança, ou se avança com as melhores condições. Digo eu.
Gi a 26 de Novembro de 2009 às 19:57


Gi,

Fico muito satisfeito por saber que continua a ler os meus textos. E felicito-a pelo seu blog, que é muito erudito e bem estruturado. Cordialmente, VA

Obrigada, VA, fico contente por gostar do meu blog, onde é muito bem-vindo.
Gi a 30 de Novembro de 2009 às 19:24

twitter
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14





<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO