Portugal é grande quando abre horizontes

28
Set 08

Hoje 'a noite não da' para sair de casa. Há milhões de gafanhotos, de formigas voadoras, melgas, mosquitos, e outros insectos alados 'a volta de tudo o que brilha, metendo-se com tudo o que mexe, incomodando o pobre cidadão que não pertence ao mundo dos bichos estranhos.

 

E' o reino dos sapos e dos lagartos, que 'as dezenas, por toda  a parte, em cada canto do jardim e nas ruas,  não têm boca para tanto insecto.

 

Isto de se ser insecto, de só se ter vida quando a estacão seca começa, vida que dura umas horas, e' como ser um desgraçado de um político, atraído pelas luzes da noite, morrendo pela manhã, ao levantar do Sol.

 

E os sapos fazem pensar nos capitalistas que vivem do esvoaçar dos insectos sem futuro.

 

 

publicado por victorangelo às 22:44

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


twitter
Setembro 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
11
12


25
27



subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO