Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Vistas largas

Crescemos quando abrimos horizontes

Vistas largas

Crescemos quando abrimos horizontes

Portugal ao lado da Itália

 

Com o caso Freeport a ganhar, cada dia que passa, novos contornos, a cheirar a corrupção de alto nível, fica-se com a impressão que a política portuguesa esta' cada vez mais próxima da italiana. O senhor da Itália, Sílvio para as damas, esta' em vias de se sentir menos só, nas reuniões europeias. Podera' passar a ter um par. A não ser que as coisas se esclareçam sem demoras.

Viver no deserto, de Sol a Sol

 

Os castanhos de vidas duras.

 

 

Aldeia no meio do deserto do Ennedi, a Nordeste do Chade.

 

 

 

Umas milhas mais a Norte, as propriedades de duas familias.

 

 

 

A tarefa de guardar as cabras, na frescura do leito seco do rio que nunca mais corre.

 

 

A conta no banco tem muitas patas e e' bem mais sólida que as contas em bancos europeus ou americanos.

 

 

Fotos Copyright V. Angelo

As montanhas que se ignoram

 

A minha escrita desta semana na VISÃO e' sobre a reunião de Davos e a ligação entre o que se discute na estância suíça com os temas da cimeira anual da União Africana, que começará este fim-de-semana em Addis Abeba.

 

Enquanto em Davos a preocupação e' encontrar um novo modelo de crescimento económico, pós-crise, em África discutem-se golpes de estado, como o da Guine'  Conacri. Ou, crises nacionais, como a da Somália, uma história de pavor sem fim.  Ou ainda as fracturas da unidade nacional que se antevêem no Sudão, sobretudo agora, nas vésperas de uma decisão do Tribunal Penal Internacional sobre a constituição do Presidente Al-Bashir como arguido por  crimes contra a humanidade.

 

Davos e Addis são terras de montanhas, mas cada uma vive num planeta 'a parte.

Natureza morta

 

 

A fotografia "Sem intencionalidade política", publicada há dois ou três dias, foi entendida por alguns dos leitores como tendo intencionalidade. Viram nesse post toda uma série de mensagens. Pobre de mim. Mas, compreendo, de certo modo. Penso que por se tratar de uma natureza morta foi vista por esses leitores como uma verdadeira representação da política nacional.

 

 

Obras públicas e votos na Madeira

 

Como o senhor chefe Alberto João gosta de empreender obras públicas, para cativar o povo da Ilha, aqui lhe deixo uma ideia de uma construção que seria muita apreciada por gente sob pressão. 
 
Não e', no entanto,  original. Foi vista em Fianga, no Sul do Chade. Mas vale a pena sugerir uma obra semelhante, com toda a elevação e respeito que o senhor merece.
 
 
 
Copyright V. Ângelo
 
 

Madeira dura, Jardim das coroas

 

 
 
 

 

 
 
O retrato que El Pais fez, na edição de Domingo, do senhor Alberto João,  do jardim que e' a Madeira, revela muitas coisas: que  o número de funcionários públicos na Madeira e' desproporcionado e que o exagero só se justifica por razões políticas, com o fim de ganhar votos;   quem vive 'a custa do  Estado, vota pela continuidade; que as subvenções do governo central e da Comissão Europeia são excelentes meios para lançar projectos vistosos,  para conseguir eleicoes de sucesso; que o défice e a divida da região ultrapassam largamente o que e' aceitável, sendo praticamente igual ao PIB anual da Madeira; que as derrapagens orçamentais, feitas por razoes partidárias, são ilegais; e mais, e mais...

Mas revela também que o poder central, em Lisboa,  tem medo do Alberto João, não faz cumprir a lei, prefere fechar os olhos ao que se passa no arquipélago.
 
Os nossos vizinhos devem ter ficado com uma ideia pouco lisonjeira da política portuguesa.
 
Mas haja alegria, que passar uns dias de Agosto no Porto Santo da' a oportunidade, a alguns dos nossos políticos de segunda linha, de um encontro com o chefe madeirão e arranjar uns negócios, umas consultorias, uns apoios políticos. Tudo isto, enquanto se apanham banhos de Sol. Nada mal. E' o proprio da saloiada esperta.  Que sabe viver...
 
 

 

 

Botas e tiros no Darfur

 

Ontem e hoje, foram dias de combates no Darfur, nomeadamente ao sul da cidade de El-Fasher. A uma ofensiva dos rebeldes do Movimento Justiça e Igualdade (JEM), o governo do Sudão respondeu com bombardeamentos aéreos.  
 
'A medida que se aproxima o momento de uma decisão do Tribunal Penal Internacional sobre o Presidente Al-Bashir, a situação interna torna-se mais complicada, com a radicalização de certos grupos político-militares.
 
O Sudão e' o maior país de África e a instabilidade interna que venha a ocorrer tem um grande impacto regional, sobretudo no que diz respeito ao Chade.
 

Sem acidez

 

 

Copyright V. Ângelo

 

 

Amanhã começa o novo ano judicial.

 

Este rio e estes terrenos alagadiços da Serra Leoa, vistos na perspectiva de um horizonte que se esbate numas cores pálidas,  fazem-me pensar, sem que saiba bem porque razão, em certos processos nas mãos da justiça portuguesa.

 

 

Pág. 1/5

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

<meta name=

My title page contents

Links

https://victorfreebird.blogspot.com

google35f5d0d6dcc935c4.html

  • Verify a site
  • vistas largas
  • Vistas Largas

www.duniamundo.com

  • Consultoria Victor Angelo

https://victorangeloviews.blogspot.com

@vangelofreebird

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D