Portugal é grande quando abre horizontes

02
Jan 09

 

Jovem a verde e castanho, as cores da beleza tranquila.

 

 

No mercado, sem pressas.

 

 

Cores mais pobres, agricultoras das hortas de areia.

 

 

Os vermelhos e azuis das vidas do dia-a-dia.

 

 

As cores da tristeza da mulher refugiada.

 

 

Fotos Copyright V. Ângelo

 

 

Começar o ano com as muitas cores das mulheres que lutam pela sobrevivência, num quotidiano hostil. As cores da força de vontade.

publicado por victorangelo às 05:19

twitter
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

15




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO