Portugal é grande quando abre horizontes

23
Mai 09

 

 

Depois de um dia ao Sol, 45 graus, a pôr condecorações no peito de militares, a discutir como conjugar o trabalho das tropas com o dos polícias, rebeliões e outras aventuras armadas, o papel das comunidades na resolução dos conflitos à volta da água e das terras, o ter ou não uma reserva estratégica de combustíveis para o abastecimento necessário durante a estação das chuvas que está a chegar - consumimos centenas de milhares de litros por mês - , fui jantar com uma delegação do Eliseu e mais uns ministros e outros notáveis aqui da terra.

 

Calhou-me uma conversa séria com  Presidente da Assembleia Nacional. É um gigante de dois metros e tal, um dos filhos de uma das cinquenta e três esposas do seu falecido pai.

 

Resolvidos os assuntos em causa, o Presidente virou-se para mim, viu os meus cabelos brancos, a minha posição, estatuto, e disse-me: "Temos que ir visitar a minha região natal. É aquela ponta que entra pelos Camarões adentro." Acrescentou, após uma pausa que tardou em findar: "Garanto-te que voltarás com dez mulheres!"

 

Claro que respondi muito obrigado. Mas a viagem fica sem data marcada. Foi apenas um jantar diplomático das dez. Da noite.

 

Bons sonhos. 

publicado por victorangelo às 22:52

twitter
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15

21




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO