Portugal é grande quando abre horizontes

07
Mai 09

 

O meu artigo de hoje, na VISÃO impressa, pode ser lido no link:

 

http://clix.visao.pt/a-cimeira-sem-lideres=f507466

 

O texto analisa a questão do desemprego no contexto europeu. Trata-se, na minha opinião, da questão mais importante na pasta dos líderes europeus. Só que esses líderes resolveram não participar na cimeira, que hoje tem lugar em Praga, sobre o desemprego. A ausência é analisada no artigo.

 

Fico a aguardar os vossos comentários na página da revista.

publicado por victorangelo às 14:13

06
Mai 09

 

Copyright V. Ângelo

 

Este camarada não apoia os rebeldes, não anda aos tiros pelo mato da vida, não pensa fazer contestação interna no partido frouxo-democrático, não se vai apresentar contra o Tio de Bruxelas, nem tem vocação para camaleão. Nem é mais um desempregado candidato infeliz a um posto de trabalho bem modesto, mas que não existe.

publicado por victorangelo às 21:40

05
Mai 09

 

Copyright V. Ângelo

 

Lá fui a Goz Beida, para tranquilizar a comunidade humanitária. Os rebeldes estão na zona, um ou outro campo de refugiados já foi visitado pelos homens armados. O governo organizou esta tarde uma ofensiva aérea, o que atrasou a minha partida de Goz Beida  -- não convém voar quando está a chover metal, metralha grossa, a cair de forma bem cerrada.

 

A aterragem ainda esteve para ser a  pique, para minimizar os riscos. Levantámos voo virando logo para Oeste, que a Leste está a fronteira, a Norte, a base aérea do governo e a Sul, a zona onde estavam a cair prendas do céu.

 

Mais um dia com uma certa agitação. Sobretudo, porque andar de avioneta onde os caças andam à procura de presa faz um bocadinho de comichão atrás das orelhas.

 

 

 

publicado por victorangelo às 22:58

04
Mai 09

 

Tempos agitados... Passar a tarde e a noite a organizar a segurança nas terras do Leste face à progressão de umas colunas rebeldes...

publicado por victorangelo às 22:50

03
Mai 09

 

Copyright V. Ângelo

 

Este bicho, apanhado ao acaso dos meus andares, passa a vida à janela, como qualquer senhora dos prazeres, no distrito vermelho de Amesterdão. Mas tem um modo de vida mais ingénuo. Mais ainda. Não é candidato às eleições europeias, embora pense que a abertura das fronteiras tornou a vida de cão que muitos de nós vivemos um pouco mais fácil. Quando se está farto de sofrer em Portugal, na miséria da nossa ignorância que se ignora, tenta-se recomeçar a vida noutros Luxemburgos, à trela dos interesses locais. É tudo uma questão de andar à procura do osso, que o bife está pelas horas da morte.  

publicado por victorangelo às 22:10

02
Mai 09

 

Conta-se nas terras secas que as formigas estavam cansadas de ver o seu formigueiro espezinhado, com regular frequência, por manadas de elefantes. É verdade que o formigueiro ficava muito à beira do trilho habitual dos elefantes.

 

Um dia, uma formiga mais ousada e expedita, certamente um bicho com cabeça, mas agindo à revelia das suas colegas, resolveu aproveitar a passagem da manada para subir por uma das pernas do elefante alfa. Tinha que chegar à orelha do líder do grupo e explicar-lhe, bem no ouvido, que certos líderes têm dificuldades em ouvir, que o caminho que esses grandalhões estavam a seguir era contra o interesse das formigas. Tudo seria uma questão de o aconselhar a desviar de rumo.

 

A vida é como é. Mesmo para uma formiga sem medo, caminhar ao longo de um elefante é um percurso longo e com riscos. Nesta lenda, conta-se que a dada altura o paquiderme resolveu, como acontece muito frequentemente, roçar-se contra uma árvore. É uma maneira de limpar a pele, matando os parasitas que todos os animais de porte atraem, e escovando a lama que entretanto, seca, se colara ao corpo. A lama faz parte da vida do bicho grande.

 

Segundo parece, a formiga foi apanhada entre o tronco da árvore, um pau duro como é usual encontrar nestas terras sem dó, e o lado esquerdo do elefante alfa. Quando este tipo de acidente tem como protagonista uma formiga, os pormenores do acontecimento não fazem parte da história.

 

O recado nunca chegou à orelha do líder. E as formigas continuam a reconstruir o seu formigueiro de tempos a tempos.

 

 

Copyright V.Ângelo

publicado por victorangelo às 21:02

01
Mai 09

 

 

 

 

Fotos copyright V.Ângelo

 

Estas mulheres, fugidas do Darfur, tiveram a coragem, ontem, de contar o que aconteceu nas sua terras, quando os cavaleiros árabes pró-governamentais atacaram. Foi numa reunião com Thabo Mbeki, com a participação do Presidente Abubakkar da Nigéria e Pierre Buyoya, antigo Presidente do Burundi, num campo de refugiados, perto da fronteira com o Sudão.

 

Levei estes ex-presidentes num avião que aterrou, após uma viagem de duas horas, numa pista do mato. Vi a amargura que vai  nestas almas, nomeadamente no que respeita ao facto de ser a primeira vez, em quatro anos, que a União Africana enviou uma delegação ao terreno, para se encontrar com os refugiados.

publicado por victorangelo às 16:16

 

 

Copyright V.Ângelo

 

Mulheres do Darfur e o trabalho de ir buscar água à fonte, para a família. A cerca protege o local, ao evitar a entrada dos animais domésticos. As árvores, plantadas pelas ONGs, servem para demonstrar que é possível transformar a natureza, nestas terras áridas. E para lembrar que a verdura e as cores fazem parte da beleza da vida, mesmo quando se vive num campo de exilados que tiveram que fugir ao conflito que persiste nas terras Darfur.

 

 

 

 

publicado por victorangelo às 08:14

twitter
Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

15

21




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO