Portugal é grande quando abre horizontes

29
Jun 09

 

Quem desempenha o papel de mediador na resolução de um conflito precisa de ser muito paciente. Fazer pressão sobre as partes para que a solução chegue num curto espaço de tempo acaba por virar uma ou ambas as partes contra quem tem como missão facilitar a paz.

 

Paciência e resultados não são questões incompatíveis. Uma jornada faz-se num dia. Muitos dias de jornada acabam por nos levar ao destino.

 

No caso do Darfur, por exemplo, o erro, neste momento, está na pressa em chegar a um cessar-fogo. O fim das campanhas militares é importante. Mas só acontecerá quando houver um mínimo de confiança no processo político.

 

Não nos podemos associar a um contra-relógio que quer forçar o fim das hostilidades através de pressões diplomáticas de tipo imperial. É preciso deixar que cada lado veja as vantagens duma paragem das hostilidades.

 

Em matéria de política e de conflito é preciso ter uma pele espessa, de crocodilo. E como qualquer velho crocodilo que se preze, convém estar imóvel, por algum tempo, mas com os olhos bem abertos. É que a oportunidade pode aparecer a qualquer momento.

 

 

 

 

publicado por victorangelo às 21:52

twitter
Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10

19




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO