Portugal é grande quando abre horizontes

02
Mar 10

 

Ontem, no aeroporto, vi-me frente a frente com um amigo de longa data. Foi um encontro fruto do acaso. Fiquei chocado. É um homem da minha geração, mas tem um ar cansado, triste e perdido no fundo de si próprio. De poucas falas, tenta sorrir e sai um esgar que me confunde. Toda a gente diz que teve sucesso, que a vida tem sido boa para com ele. O seu aspecto deixou-me na dúvida. Para mim, estava ali um homem a precisar de alguém que se ocupasse dele, um bicho do mato à procura de mãos suaves que lhe acariciem o pelo e tragam um pouco de tranquilidade.

 

A idade, e o sucesso, quando crescem juntos, à custa de muito esforço, têm um preço elevado. A certa altura, é tempo de fazer as contas à vida, comparar os ganhos e perdas, tirar o saldo e mudar de agulha.

 

Voltei para casa a pensar. E desejoso de me ver ao espelho.

publicado por victorangelo às 18:55

twitter
Março 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9





subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO