Portugal é grande quando abre horizontes

20
Jun 10

Foi um dia de estrada. Oitocentos marcos, pela Franca abaixo. Paris, embora fosse Domingo, por isso, com menos transito, que muitas empresas estão fechadas, continua a ser um inferno de movimento, engarrafamentos, carros e motas aos milhares, e' impossível calcular quanto tempo vai demorar passar pela cidade das luzes e dos sonhos. Com o GPS aos comandos, sempre se vai por umas estradas por onde ninguém quer passar, o inferno do tráfego e' substituído pelos buracos feios dos bairros da periferia anónima, impessoal, cruel destruidora da alma das pessoas.

 

Já ao fim do dia, em La Rochelle, foi possível esquecer o pesadelo dos periféricos. O restaurante Les 4 sergents, recomendado por Michelin, ajuda a apagar os quilómetros. Na mesa ao lado, jantava um jovem, tudo muito bem comido e melhor regado, com os seus dois cães de estimação como companhia. Um no regaço, outro aos pés, os malandrecos portaram-se bem, mas gostaram imenso de ir provando as estrelas do chefe. A determinada altura, veio um prato de mexilhões, preparado com requinte, e um dos bichos ficou de olhar fixo, que os mariscos tinham bom cheiro e pareciam estar bem preparados. Tudo com excelentes maneiras, que nestas coisas recomendadas pelo Michelin, os Ingleses, os Franceses, eu por acaso, portam-se bem.

 

Não há crise, como diria o outro.

 

 

publicado por victorangelo às 21:38

twitter
Junho 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

16




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO