Portugal é grande quando abre horizontes

04
Ago 10

Estou de viagem.

 

Entretanto, o meu sobrinho Jorge, que comanda a Pégaso, um barco patrulha da Marinha, interceptou, ao largo de Vila Real de Santo António, uma lancha rápida, com dois poderosos motores de 200 cavalos cada, que vinha, aparentemente, de Marrocos. Com dois tripulantes, transportava, de modo dissimulado, 1,5 toneladas de haxixe.

 

 Estas lanchas, difíceis de apanhar, por causa da força dos seus motores, são, actualmente, um dos meios preferidos dos traficantes de droga. E Portugal está na rota dos traficantes, quer eles venham do Norte de África quer da América do Sul. Neste último caso, os fora-de-bordo vão ao encontro dos navios provenientes da América do Sul, fazem o transbordo no alto mar e regressam, a toda a velocidade, a pontos isolados da nossa costa.

 

O peso do tráfico de droga na economia clandestina do nosso país está por determinar. Quer o trânsito da mercadoria para outros destinos europeus quer o mercado interno alimentam, em Portugal, uma economia paralela, criminosa, cuja dimensão me parece cada vez mais importante.

publicado por victorangelo às 22:13

twitter
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9





subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO