Portugal é grande quando abre horizontes

22
Ago 10

Recentemente foi fixada a pensão de reforma mínima para os trabalhadores independentes, ou seja, que exerceram por conta própria.  É de 945 euros. No caso de ser um casal, o mínimo será de 1233 euros.

 

Estes valores permitirão a quem se reformar ter um resto de vida com dignidade. Assim foi decidido na Bélgica, um país onde o custo de vida é , em muito, equivalente ao nosso.

publicado por victorangelo às 22:05

21
Ago 10

Um dos truques utilizados pelos serviços secretos é o de tentar manchar o bom nome de um inimigo. É uma maneira simples de tentar retirar credibilidade a quem nos ataca. De o enfraquecer, para que os ataques percam peso.

 

Aparentemente, tal aconteceu nas últimas vinte e quatro horas, em relação a Julian Assange.

 

Julian, o fundador do sítio Wikileaks, havia divulgado milhares de documentos confidenciais, classificados e top secretos, relativos a operações militares aliadas no Afeganistão. Já aqui escrevi sobre isso. Esses documentos revelam aspectos que põem em causa a maneira de operar dos ministérios de defesa dos Estados Unidos e de outros países, bem como as políticas seguidas pelos governos comprometidos no Afeganistão.

Tem mais documentos para revelar. O que ira' acontecer em breve. Por esse motivo, criar complicações de imagem e mesmo de polícia a Julian é uma táctica que seria de esperar. Esta' nos manuais. Ontem, um tablóide sueco, certamente inspirado por agentes especiais vindos sabe-se lá donde, dizia que Julian era procurado pela justiça, acusado que seria de violação e de outro crime sexual, na Suécia. Hoje, isso foi tudo por água abaixo. Já não é procurado. Ou seja, a tentativa de denegrir não deu resultado, que o sistema sueco funcionou. E limpou o nome.

 

Deveriam ter feito a acusação em Portugal. A nódoa teria ficado. Só que ninguém se lembra de Portugal, lá fora. Que alívio, não é?

publicado por victorangelo às 21:32

20
Ago 10

 

Copyright V. Ângelo

 

Este alinhamento, ordenado e sólido, sereno e simples, é o oposto da política portuguesa.

publicado por victorangelo às 22:03

19
Ago 10

O projecto de construção de uma mesquita e de um centro islâmico a uma distância de dois quarteirões do Ground Zero, na baixa da cidade de Nova Iorque, continua a ser o principal tema político nos Estados Unidos. Parece incrível mas é verdade. Uma grande maioria dos habitantes da cidade, e dos americanos, opõem-se ao projecto. Gente conhecida pela sua abertura de espírito, pela sua modernidade e pelo vanguardismo das suas ideias, tem feito campanha contra.

 

É um caso paradigmático da intolerância americana em relação a tudo o que possa ter um cheirinho muçulmano. Isto num país que foi construído com base na liberdade religiosa.

 

 

publicado por victorangelo às 22:54

18
Ago 10

O Presidente da Comissão Europeia, JM Barroso, respondeu à carta que recebera de N Sarkozy e que mencionei no poste de ontem. 

 

A resposta, bem articulada, lembra que a UE foi a primeira instituição que disponibilizou fundos e volta a acentuar o papel da Direcção Geral ECHO, a estrutura de trabalho humanitário, na coordenação das intervenções europeias. Refere ainda que a utilização de meios militares na área da logística humanitária, uma sugestão feita pelo Presidente francês, tem que obedecer a critérios muito estritos. A intervenção humanitária é sempre muito arisca a uma qualquer associação com meios militares. Contra, para ser mais preciso. Tive várias vezes a oportunidade de o notar, no meu trabalho de campo.

 

A questão é que a Comissão não tem gerido bem a parte relações públicas da sua resposta de urgência. Sobretudo numa crise marcante, visível, como esta do Paquistão. Ainda hoje, e um bocado por influência da carta do Presidente Sarkozy, tivemos um exemplo disso: 30 milhões de euros de ajuda suplementar, a juntar aos 40 que já haviam sido aprovados, foram decididos esta manhã. Mas quem ouviu falar disso?

 

A 23 de Agosto, a Comissária Kristalina Goergieva, a responsável pela pasta humanitária, visita o Paquistão. Dir-se-ia que mais vale tarde do que nunca. O que é indiscutível é que já deveria ter feito essa viagem. Agora, parece que vai a mando, ou por medo, de Sarkozy.

 

Não haverá no gabinete do Presidente da Comissão quem pense nestas coisas de modo um pouco mais atento, rápido e com a oportunidade estratégica necessária?

publicado por victorangelo às 18:46

17
Ago 10

Nicolas Sarkozy não morre de amores por JM Barroso. Acha que o nosso compatriota tem pouca genica, menos espírito prático e nada de liderança. São opiniões, claro.

 

Nicolas acaba de lhe pregar mais uma partida. No Domingo, dia 15 -- sim, no Domingo, que Nicolas gosta de mostrar que não dorme na formatura, nem trava o seu ímpeto em Agosto -- escreveu ao homem de Bruxelas, a dizer que a Europa deveria fazer mais e melhor, e sem demoras, para responder à grave crise humanitária que se vive -- e de que se morre -- no Paquistão.

 

A carta continha ainda umas farpas relacionadas com a fraca resposta europeia, no caso do Haiti, e com a falta de iniciativa, de ajuda, quando a Rússia se defrontava com os fogos.

 

Mais. Como já mencionei num poste recente, Sarkozy constatava, igualmente, que a Europa ainda não tem uma capacidade adequada de resposta às catástrofes naturais e às urgências humanitárias. Acrescenta que a França vai apresentar um certo número de propostas para que essa capacidade seja estabelecida.

 

A carta fez mossa, em Bruxelas. Imagine-se.

publicado por victorangelo às 21:36

16
Ago 10

Conheço a África como poucos em Portugal. Sei que é um continente com um potencial enorme. As possibilidades de investimento são imensas. E a África está cada vez mais aberta às parcerias internacionais. Em muitos casos, as portas até já estão abertas, falta apenas entrar.

 

Só que a Europa, na sua sonolência actual, parece ter-se esquecido dessa parte do mundo. O mesmo não se poderá dizer dos Chineses, cada vez mais presentes em África. Ontem chegaram-me notícias de que a China está a investir cerca de 1,4 mil milhões de dólares na exploração do ferro na Serra Leoa.

 

Mas não são só os Chineses. Hoje, foi anunciado que um consórcio de empresas de Singapura e da Índia vai investir, nos próximos anos, 4,5 mil milhões de dólares nos sectores agrícolas e florestal, bem como no desenvolvimento da infra-estrutura rodoviária do Gabão. É um montante muito significativo. A produção de óleo de palma é um dos pilares do projecto. Infelizmente, há também uma forte componente ligada às madeiras tropicais.

 

A verdade é que a Europa poderia fazer melhor e com mais respeito pelo ambiente. Mas a verdade, também, é que o não faz.

publicado por victorangelo às 22:54

15
Ago 10

 

Copyright V. Ângelo

 

Dedicada ao meu velho amigo Alfred Sallia Fawundu, que depois de muitos anos a andar pelo mundo, com a Guiné-Bissau e Angola também na lista, e a aprender pessoas e línguas, incluindo português, voltou a Pujehun, uma das mais belas regiões da África Ocidental, e à luta pelos seus. Sempre com alegria, generosidade  e muita elegância política. Era um candidato presidencial possível, às eleições de 2012, na Serra Leoa. Hoje, em Freetown, antes do nascer do Sol, deixou todos os que o conheciam mais pobres. De repente.

 

publicado por victorangelo às 23:11

14
Ago 10

Zé Cravinho, emigrante português na Holanda desde os anos 60, escreve hoje um comentário ao meu artigo da semana, na Visão, que vale a pena ler.

 

Antigo operário, poeta popular, homem de convicções, vive, aos 86 anos, agarrado ao computador, a seguir e a comentar a actualidade.

 

O testemunho que partilha connosco faz-nos pensar no muito que ainda há para fazer, aqui em Portugal, para que se aprecie as pessoas e o seu valor. Mesmo, quando já muito idosos e não tendo sido mais, na vida, do que um simples operário fabril.

 

O testemunho está disponível em http://aeiou.visao.pt/xenofobia-e-a-arma-dos-curtinhos=f568978?va=340455

publicado por victorangelo às 22:19

13
Ago 10

As últimas 24 horas não têm corrido bem para a Comissão Europeia. Quando tais azares acontecem no pino de Agosto, uma altura do ano considerada sagrada pelos eurocratas, sagrada no sentido que não se deve trabalhar nem ter preocupações profissionais em Agosto, a não ser as relacionadas com a temperatura da água do mar, isso que dizer que as coisas andam mesmo a correr muito mal. E que irão piorar nos próximos tempos.

 

Primeiro, foi a redução orçamental de 3,6 mil milhões de euros, imposta pelos estados-membros, no que respeita às contas previstas para 2011. O aumento salarial de 1,85% dos burocratas da Comissão foi uma das rúbricas que não mereceu luz verde. Não haverá aumentos. Os subsídios para o sector agrícola serão reduzidos de 820 milhões. Na minha opinião, esta é uma área onde é possível cortar ainda mais, pois muitos dos pagamentos vão parar aos bolsos dos agricultores mais abastados da França e de outros países.

 

Mais. A Inglaterra e outros seis estados não aprovaram o orçamento. Querem cortes ainda mais profundos. Mau sinal.

 

Segundo, foram as palavras pouco hábeis e ainda menos diplomáticas de Vale de Almeida, o embaixador da UE em Washington. O senhor acaba de chegar ao posto e já está a levantar ondas nalgumas capitais europeias. Ontem, disse que ele é que lidera os embaixadores europeus nos Estados Unidos, quando as matérias dizem respeito às políticas europeias. O leitor imaginará como foi vista uma declaração deste tipo em Londres, Berlim, Paris, Roma ou Varsóvia. (Em Lisboa, ninguém vê nada). Já começou a levantar anti-corpos contra a Comissão e o embaixador, que fora nomeado em circunstâncias pouco transparentes. Isto, num momento em que Bruxelas precisa de todos os apoios que possa conseguir, nas diferentes capitais europeias.

 

De facto, os eurocratas devem estar a chorar os bons velhos tempos, quando Agosto não trazia pesadelos destes. 

publicado por victorangelo às 21:34

twitter
Agosto 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9





subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO