Portugal é grande quando abre horizontes

13
Set 10

  

 

 

Copyright V. Ângelo

 

O Tridente saiu hoje para o mar. Em missão. Somos um país marítimo do Século XXI. Com uma plataforma e uma zona económica de grande interesse estratégico. Precisamos deste tipo de equipamento. E de valorizar, ao mesmo tempo, o mar que temos. Sem espaço para demagogias.

 

Quem quiser poupar, que corte nos subsídios à RTP, à TAP, e a outras coisas do género. Poupando, assim, centenas de milhões por ano. Mas, por favor, não confundam as pessoas, não comparem os nossos interesses marítimos com as palhaçadas da TV, que é um buraco sem fundo. Nem com a companhia que voa mal e que já deveria ter sido privatizada há muito.

 

 

publicado por victorangelo às 22:33

A reflexão estratégica sobre o futuro de África deverá ter em conta os seguintes desafios e processos de transformação, que irão ocorrer nas próximas três décadas:

 

a)     O crescimento da população. Em 1980, havia 480 milhões de Africanos. Em 2010, mil milhões. Em 2050, os Africanos serão 1,8 mil milhões.  

 

b)     A urbanização acelerada. As migrações internas.

 

c)     A emigração para outros países africanos, para a Europa e para outros continentes.

 

d)     O emprego dos jovens. 500 milhões em idade de trabalhar em 2010. Serão 1,1 mil milhões em 2040.

 

e)     O desenvolvimento desigual. Dualidade. Modelos de desenvolvimento vão ser postos em causa. Ao mesmo tempo, aparecimento de classes médias, crescimento do poder de compra.

 

f)      Desertificação, desflorestação, pressão sobre os recursos naturais.

 

g)     Redes criminosas internacionais, tráfico de drogas, de armas e terrorismo. Pirataria na Costa Ocidental de África.

 

h)    Governação, instabilidade, desagregação social. O caso do Sul Sudão. Conflitos internos, etnicidade, confrontos religiosos. Conflitos bélicos entre estados.

 

i)       Saúde pública, SIDA, educação. Segurança alimentar.

 

j)       Mais riqueza, maior peso na economia global, mais FDI em África e de África noutras partes do mundo, a começar pela Europa.

 

k)     Maior afirmação política nas instituições internacionais, novas parcerias com a China, Índia, etc. A questão da participação como membro permanente do Conselho de Segurança da ONU.

 

A reflexão também deve ser feita na Europa, visto que muitas destas mudanças que irão ocorrer em África terão um impacto significativo no continente europeu. 

 

 

(Copyright V. Ângelo)

publicado por victorangelo às 11:48

twitter
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

17




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO