Portugal é grande quando abre horizontes

24
Set 10

O ministro das finanças de um país cada dia mais irreal - fantasista, diriam alguns, tragicómico, retorquiriam outros - diz que anda por aí um submarino. Não se percebe bem para que serve, nas palavras do ministro, mas deve ter como missão secreta arruinar as contas públicas. Se assim é, então estamos de facto num país muito estranho, em que as finanças e a defesa parecem pertencer a governos opostos. E onde a incompetência dos que tratam das finanças navega nas águas submersas do nosso populismo. Só que o populismo é um mar de pouca visibilidade, com muitos perigos e pouca serenidade.

 

Creio que é altura de pôr os pés em terra. Estamos à beira do precipício, há já algum tempo. Em vez de se tentar contornar o buraco, anda-se à paulada, quando a terra nos está a fugir de debaixo dos pés. Os marinheiros do submarino serão certamente muito competentes para uma navegação escondida. Mas a marinhagem de terra está cada vez mais desnorteada. Dá provas, todos os dias, que não está à altura dos ventos que sopram. Incompetentes, diriam alguns. Incapazes, responderiam outros. Hesito entre uma opinião e a outra... 

publicado por victorangelo às 18:13

twitter
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

17




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO