Portugal é grande quando abre horizontes

28
Jan 11

A crise egípcia está a evoluir muito rapidamente. Ouvi esta noite as declarações de um dos generais mais importantes. Foi ambíguo, o que pode significar que, tal como aconteceu na Tunísia, as Forças Armadas possam, em breve, retirar o seu apoio a Mubarak. Tudo depende da presença maciça dos cidadãos na rua.

 

Entretanto, o Presidente já cometeu dois erros muito sérios. O primeiro tem que ver com o silêncio que tem mantido, durante os quatro dias que a crise já tem. Deveria ter aparecido na televisão, falado aos seus compatriotas, mostrado que está senhor da situação. O outro foi o decretar de um recolher obrigatório, que não era crucial mas que fez acender ainda mais a rebelião popular. Ofereceu mais uma oportunidade para que a autoridade do regime fosse desafiada.

 

Os Estados Unidos têm-se pronunciado sobre os acontecimentos, ao mais alto nível, de uma maneira muito clara e positiva. O Egipto, com a questão de Israel à porta e o canal de Suez, é uma país de grande importância estratégica.

 

Do lado da Europa, nada de muito visível. Ninguém saiu a público, de modo inequívoco. Estranho, se ainda houvesse alguma coisa estranha, por estes lados.

 

publicado por victorangelo às 20:18

twitter
Janeiro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

19




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO