Portugal é grande quando abre horizontes

24
Set 11

No Norte da Europa, este é o fim-de-semana que celebra a festa das colheitas. Marca, também, o fim do Verão. Lembra-nos as raízes agrícolas dos povos europeus.

 

Em Riga, a cenoura teve as honras do dia. Foram feitas várias figuras e esculturas com cenouras, representações humanas, um galo, um galgo, um abrigo, a estátua da praça da festa foi decorada com um colar de cenouras e uma coroa de maçãs, as crianças fizeram trabalhos manuais com as ditas, mais outras abóboras, e legumes equivalentes, enfim, deu para pôr a população na rua, muita gente, a aproveitar o Sol de fim de estação e a comer coisas típicas nos quiosques, incluindo uma espécie de chucrute e uma variedade de maçãs cortadas em caracol, enfiadas num espeto e assadas com mel.

 

Às 18:00 horas terminou a festa.

 

As pessoas retiram-se cedo. A partir daí, só há animação nos restaurantes que estão na moda - o Lido, por exemplo, um pouco fora do centro, com mais de dois mil e tal metros quadrados, todo em toros de madeira, uma atracção incontornável, sabores do Báltico - ou na zona da velha cidade, onde surge uma mistura, que não se mistura, de turistas e jovens letões com mesadas ou pecúlio para gastar. Nas esplanadas é frequente ver clientes enrolados em mantas, fornecidas pelo estabelecimento, que as noites começam frescas. Um copo de cerveja de meio litro custa 1,60 euros e os pratos mais caros andam pelos 16. Tenha-se em conta que um quilograma da melhor carne de vaca custa, no mercado, menos de 10 euros.

 

 

publicado por victorangelo às 18:34

Como tenho que escrever um texto sobre a crise israelo-palestiniana, acordei a pensar que quem semeia desespero, colhe revolta. É tudo uma questão de tempo.

publicado por victorangelo às 08:25

twitter
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO