Portugal é grande quando abre horizontes

03
Nov 11

A fragilidade do PM grego, já referida neste blog, tornou-se hoje ainda mais evidente. Veremos que futuro político vai ter, amanhã e depois.

 

Entretanto, os nossos miseráveis analistas, que acharam que a iniciativa referendária de Papandreou havia sido um golpe de mestre, já devem estar, esta noite, a pensar noutras ideias igualmente brilhantes.

 

Mas o mais curioso, para mim, foi ter chegado ao fim do dia, depois de ouvir ao vivo umas intervenções de políticos, convencido que a capacidade de produzir opiniões burras não tem limites, na vida portuguesa. O problema é que somos dirigidos, de um modo ou de outro, por essa gente. 

 

O dia já tinha começado mal. Lera, antes da reunião, a opinião de uma deputada europeia, que nos representa em Estrasburgo e Bruxelas, e dei por mim a pensar na mula da cooperativa e nos dois coices no telhado. Isto depois do artigo do Avante sobre as conspirações macacas dos sionistas, mais os católicos e maçónicos. Que açorda, que combinação tão impossível, meus amigos. Só mentes assim, avançadas, poderiam produzir coisas dessas. 

 

 

 

 

publicado por victorangelo às 21:11

twitter
Novembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


23

30


subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO