Portugal é grande quando abre horizontes

05
Mar 12

Sete horas e picos de barco, para chegar a Siem Reap. Foi um navegar pelos meandros da zona pantanosa do Norte, num barco de doze passageiros, há sempre lugar para mais um e uma carrada de sacos, distribuindo passageiros aqui e acolá, que o barco é como a mala-posta, é o meio de locomoção destas gentes de beira-rio, o autocarro dos rios, apanhando outros mais à frente, incluindo uma mulher muito velha, cabeça rapada, que é o hábito budista que mostra que a mulher de idade já se preparou para a morte, velha, sim, mas cheia de genica e com excesso de bagagem, enfim, depois de muito navegar, de muito cheiro típico do rio, que o rio é a casa para milhares de famílias, que vivem em aldeias flutuantes, conseguimos chegar a Siem Reap, a terra dos templos e dos milhões de turistas, a grande atracção deste país.

 

 

publicado por victorangelo às 14:41
tags:

twitter
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO