Portugal é grande quando abre horizontes

21
Mar 12

 

 

Copyright V. Ângelo

 

Estou de novo de viagem. E, enquanto espero, pois viajar é esperar, interrogo-me sobre a operação que está a decorrer em Toulouse, para capturar o terrorista.

 

É importante, num caso destes, apanhar o indivíduo vivo. Ele tem muito para "contar". Será que uma operação maciça, com uma forca excepcional de polícias especiais, é a melhor solução? É certamente muito espectacular, capta muitas imagens, dá a ideia de um presidente e de um Estado fortes, mas em termos da investigação e da prevenção, levanta muitas questões.

 

Não seria preferível uma intervenção mais discreta, esperar por ele à saída de casa, na rua, quando fosse comprar fósforos ou coca cola -- de certo não bebe vinho -- e abordá-lo então, de surpresa, vivo e capaz de falar sobre a sua rede de contactos? 

 

Veremos qual vai ser o desfecho. Mas a minha previsão é que estas coisas acabam sempre aos tiros. Sem mais questões, sem que se possa perceber melhor quem está por detrás, na próxima esquina, a preparar outras. 

 

 

publicado por victorangelo às 13:28

twitter
Março 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO