Portugal é grande quando abre horizontes

11
Abr 12

Passo a noite nos arredores de Rambouillet e Versalhes, a oeste de Paris. A aldeia chama-se Villiers Le Mahieu e tornou-se um exemplo de como uma zona rural se pode transformar num destino de turismo especializado: conferências e seminários, aproveitando um velho castelo do século XVI, que havia sido construído com base nas ruínas de um outro, que datava do século XIII. 

 

Às conferências e seminários acrescentaram um campo de golfe, uns banhos termais e um excelente restaurante. Tudo num ambiente campestre que parece ter saído de uma pintura bucólica. Um quadro perfeito e tranquilo. Aqui não há casas abandonadas, a ruir porque os herdeiros não se entendem, nem depósitos de entulho nem mesmo terras que não sejam cultivadas e aproveitadas. Recupera-se o antigo, introduz-se a variável qualidade e atrai-se uma clientela de empresas que saibam dar o valor a estes ambientes e tenham condições para pagar o preço. 

 

Afinal, a economia é uma ciência simples, de bom senso e de bom gosto, a que se junta uma boa dose de civismo por parte dos cidadãos. E uma administração pública visionária e responsável.

publicado por victorangelo às 18:34

twitter
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

16




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO