Portugal é grande quando abre horizontes

26
Jul 12

O texto que hoje escrevo na Visão (edição impressa) contém um número de propostas relativas ao posicionamento da União Europeia (UE) em relação à Síria.

 

O texto ainda não esta disponível na net. Mas ao lê-lo esta noite, com letra de forma, pensei mais uma vez que quem emite opiniões, quer na imprensa escrita quer na audiovisual, tem a responsabilidade de abrir perspectivas e elevar o debate. Não deve cair no populismo. Não pode limitar-se a cavalgar a opinião pública e a repetir o que diz o motorista de táxi ou o bloguista primário.

 

Ora, infelizmente, é isso o que mais acontece. Até com gente que deveria sentir-se à vontade para dizer o que pensa. Tive oportunidade de o ver, com mágoa, no domingo passado, na intervenção semanal de Marcelo Rebelo de Sousa. Interrogado sobre a possibilidade do FMI não aprovar a próxima tranche de financiamento do programa grego, Marcelo lançou-se numa longa dissertação demagógica sobre a falta de solidariedade europeia. Um resposta que nada tinha que ver nem com os procedimentos do Fundo - que deveriam ter sido esclarecidos - nem com a verdade do facto do governo grego ser incapaz de levar avante o programa que aceitou.

 

Assim, não vamos longe. Continuaremos a confundir raivas com realidades, a pensar ao nível do penico.

publicado por victorangelo às 20:59

twitter
Julho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

15
18




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO