Portugal é grande quando abre horizontes

21
Mar 13

Desloquei-me, esta manhã, a Ottignies, uma pequena localidade mais ou menos rural situada a trinta quilómetros a sul de Bruxelas. Trata-se de uma vila que se modernizou bastante, nos últimos anos, em virtude da instalação na zona da Universidade Católica de Lovaina, que também é conhecida como Lovaina-a-Nova, por se tratar de uma construção de raiz.

 

Lovaina-a-Nova foi estabelecida na zona, quando a secção de língua francesa da velha Lovaina teve que se separar da histórica universidade, por motivos políticos. Ou seja, porque deixou de ser possível ensinar em francês em terras da Flandres.

 

Chegada a hora do almoço, a decisão foi a de comer em Ottignies. Pelo sim pelo não, a escolha recaiu num restaurante de cozinha típica belga. Não conhecendo a terra, essa era a melhor opção, nesta parte do país, onde as gentes gostam de se tratar bem. O local tinha um excelente aspecto e os preços eram relativamente acessíveis.

 

E de facto, fomos muito bem tratados pela patroa, que fazia de chefe do pessoal de sala, enquanto o marido tomava conta da cozinha. A senhora percebia da poda e sabia como tratar os clientes. Já no final, ofereceu à minha mesa uma aguardente, para empurrar o café e o resto. A mesa achou a bebida deliciosa, pois tinha um sabor a aguardente mas suave. E perguntou à patroa que bebida era. Explicou-nos, na sua maneira correcta de falar francês, que era uma aguardente de amêndoas, um produto português.

 

A partir daí viemos a saber que esta senhora, bem do local e dona de um estabelecimento de sucesso, era afinal uma alentejana do Baixo Alentejo. 

publicado por victorangelo às 21:00

twitter
Março 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

13
16





subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO