Portugal é grande quando abre horizontes

05
Jun 13

Estive ontem e hoje em Londres para umas reuniões. Londres, como muitas vezes o digo, é a única cidade europeia que é verdadeiramente global. Andar nas ruas e praças do centro da cidade é como passear pela paisagem humana existente nos vários cantos da terra. Participar numa reunião sobre temas internacionais é ter a oportunidade de ouvir opiniões e ser confrontado com ângulos que reflectem as muitas perspectivas culturais que definem o mundo. É um convite para que saiamos da nossa zona de conforto mental e encaremos cada questão como tendo várias leituras possíveis.

 

Londres é, também, uma cidade cara e sobrepovoada. O dinheiro foge dos bolsos e dos orçamentos familiares. Há gente por todos os cantos. Sobretudo, gente jovem.

 

E muita bandeira britânica. O governo explora abertamente os sentimentos nacionalistas da população. Dá uma no cravo e outra na ferradura, quer estar na Europa e, ao mesmo tempo, fazer como se não estivesse. Só que isso, a prazo, apenas serve os interesses dos ultranacionalistas, dos antieuropeus. Ou seja, temos aí uma séria ameaça ao projecto europeu.

 

Mas Londres precisa da Europa para continuar a ser uma cidade universal. 

publicado por victorangelo às 20:45

twitter
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9


26



subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO