Portugal é grande quando abre horizontes

20
Jun 13

O Presidente François Hollande disse, numa visita recente à China, que a crise das economias europeias estava a chegar ao fim. A mensagem que quis transmitir era bem clara: estamos numa altura de viragem, o pior já passou, vamos entrar num período de retoma.

 

Na altura, houve quem dissesse que Hollande não tinha outra opção. Que o presidente de um país de peso dentro da União Europeia tinha que transmitir optimismo, apesar de saber que as tendências económicas são negativas.

 

Na minha opinião, esta maneira de ver as coisas, dando uma visão ilusória da realidade, este optimismo retórico não traz benefícios. Prejudica, isso sim, a credibilidade do político que profere esse tipo de declarações.  

 

Em política, seja na cena internacional seja na doméstica, considerar que os outros são tolos é um erro. Nos tempos de hoje, aqui, ou na China, o que conta é a franqueza. O discurso político precisa de se adaptar aos tempos de agora. Ter presente que as pessoas estão bem informadas e propor, assim, políticas e medidas que façam sentido e que resultem de um estudo da realidade e das diferentes escolhas possíveis. O resto é conversa. 

publicado por victorangelo às 20:11

twitter
Junho 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9


26



subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO