Portugal é grande quando abre horizontes

14
Abr 14

O Zé Manel é um atirador exímio, um verdadeiro “sniper”. Na sexta-feira deu um tiro no pé direito, que o feriu profundamente na sua ambição de um dia vir a ser presidente da nossa Freguesia. Veio de propósito da estranja, como adora fazer aos fins-de-semana, que muitas vezes começam à quinta-feira, para lançar uns balões de ensaio, na companhia dos amigos que gostariam de o ver à frente da Junta. Esses amigos, gente bem colocada na vida política da aldeia, querem que o Zé Manel ganhe as próximas eleições.

 

Mas agora, com esse tiro no pé, e toda a agitação, títulos, letras gordas, chacota generalizada nas redes sociais, e assim por diante, a coisa ficou seriamente manchada. O balão subiu e estourou. E da próxima vez, quando a houver, que o Zé Manel e os seus amigos estão mesmo convencidos que a eleição é dele, assim que ele voltar a abrir a boca saem de novo os mesmos títulos que saíram neste dias de inferno de agora.

 

Até a imprensa mais favorável foi buscar umas coisas antigas, umas passagens administrativas, enfim, talvez tenho sido mais do que um tiro no pé. Parece, isso sim, que Zé Manel deixou cair uma bomba. E vai ficar a coxear durante muito tempo. Que nós estamos num clima político, aqui na aldeia, que não perdoa.

publicado por victorangelo às 20:21

twitter
Abril 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9

15

23
25



subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO