Portugal é grande quando abre horizontes

08
Mai 14

Quem preconiza um regresso “à independência económica”, entendida como uma saída do Euro, tem uma visão de Portugal que é certamente muito romântica mas que se esquece que o país era uma miséria quando tinha o Escudo. Não nos soubemos desenvolver então, que éramos donos e senhores na nossa casa, e teríamos ainda mais dificuldades em sair da pobreza, se voltássemos ao “orgulhosamente sós” versão 2015.

 

O futuro de Portugal passa por um melhor aproveitamento das possibilidades oferecidas pela UE. Passa por um país virada para a frente, capaz de se inserir em espaços mais amplos. Não passa, certamente, por um voltar ao passado.

publicado por victorangelo às 20:45

Estou inteiramente de acordo que uma das prioridades em termos da nossa economia é o investimento. Nacional e estrangeiro. Investimento que se fundamente em conhecimentos e capital. E que seja capaz de criar emprego.

 

Essa deve ser uma das preocupações centrais do governo e dos agentes económicos e sindicais. Deve, igualmente, ter presente que a imagem do país é, nestes dias, mais favorável. Sim, de facto assim é. Por razões objectivas e também por jogos de espelhos, mas a verdade é essa. Há que aproveitar.

 

Mas haverá igualmente que compreender bem o que é actualmente um travão ao investimento. E ter a coragem de falar nisso e de tratar de o resolver.

 

 

publicado por victorangelo às 08:59

twitter
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


24



subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO