Portugal é grande quando abre horizontes

14
Mai 14

Creio ser importante sublinhar que vista de fora, a banca comercial portuguesa é definida em duas linhas: primeiro, tem um peso financeiro insignificante, reflectindo assim a fraca dimensão do mercado bancário nacional; segundo, está tecnicamente às portas da falência.

 

Lembrei-me disto ao ver os resultados de hoje da Bolsa de Lisboa: os principais bancos perderam, ao longo do dia, cerca de 800 milhões de euros em termos de valor de mercado. O BCP perdeu 10,84%, o BES 8,2% e o BPI 5,89%.

 

Para poderem sobreviver, estes bancos precisam rapidamente de aumentar o seu capital. O que não será fácil. E será apenas um adiar do problema. A banca portuguesa precisa de uma reestruturação profunda. Viver de vapores e de ar quente não é solução. Temos que ter um sistema bancário privado que seja adequado ao tipo de economia que existe.  

publicado por victorangelo às 20:43

twitter
Maio 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


24



subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO