Portugal é grande quando abre horizontes

26
Dez 14

Volto às reflexões de Natal, para dizer que é um erro tentar aproveitar o dia ou o momento para fazer propaganda política. O erro torna-se ainda maior quando a propaganda é claramente exagerada, marcadamente enviesada e descaradamente eleitoralista. Ninguém vê com bons olhos esse tipo de “esperteza”. O Natal é um período especial, com profundas raízes emotivas e sensibilidades profundamente espirituais. Os discursos, declarações ou mensagens de Natal devem ser inspirados por valores nobres e mais ou menos universais. Devem reconhecer a coragem dos que a tiveram, a bondade dos que a manifestaram e a solidariedade activa com quem dela precisa.

Seria bom que os fulanos que aconselham certos políticos dos nossos tivessem isso em conta. Que estudassem o que outros dirigentes dizem, nos países da velha Europa. E que procurassem evitar que os seus patrões partidários cometessem as asneiras de que fomos uma vez mais testemunhas. Só que esses miúdos das cortes que giram à volta do poder sabem tanto e têm tanta experiência como um bichinho que acaba de sair da toca.

publicado por victorangelo às 20:58

twitter
Dezembro 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
12

16
17

24

28


subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO