Portugal é grande quando abre horizontes

13
Abr 15

Um partido que construa a sua linha política, o seu discurso público, à volta do refrão da austeridade não vai longe. Ser contra a austeridade não significa grande coisa e não passa ao nível do eleitorado mais esclarecido. Não capta o centro, que é indispensável para que se possa constituir uma base de governação.

O que de facto conta é o crescimento económico, a criação de emprego, a igualdade de oportunidades. É à volta destes temas que se constrói uma imagem progressista e mobilizadora. As mensagens, as diversas maneiras de comunicar, devem focalizar-se nesses desígnios. E ser ditas com simplicidade, convicção e exemplos de casos pessoais de sucesso que deverão ser considerados exemplos e que poderão ser multiplicados por muitos factores, se as escolhas políticas foram as mais acertadas.

Parece-me que a política de agora deve ser feita assim, neste momento de grandes desafios e de enormes desânimos sociais.

 

 

 

publicado por victorangelo às 11:19

twitter
Abril 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
16

24
25

28


subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO