Portugal é grande quando abre horizontes

18
Jul 15

Se eu fosse o primeiro-ministro deste país repetiria amiudadamente que a minha responsabilidade primeira é a de lutar pelos interesses dos portugueses.

Enquanto chefe do governo, eleito pelos cidadãos de Portugal, é isso que se espera e que deve ser feito, cá dentro e lá fora.

E explicaria que a salvaguarda dos nossos interesses não quer necessariamente dizer que nós ganhamos e os outros perdem. Não estamos num jogo de soma zero, em que uns ganham porque outros perdem. Muitas vezes, em relações internacionais, a convergência de posições é a melhor maneira de defender aquilo que nos interessa.

O importante é ser claro e ter a coragem de dizer as coisas como elas são.

publicado por victorangelo às 22:19

twitter
Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
13

25

31


subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO