Portugal é grande quando abre horizontes

21
Set 10

Enquanto se discutia em Nova Iorque como combater a pobreza e atingir os objectivos de desenvolvimento aprovados no início do milénio, chegaram-nos notícias de outro tipo. Sobre o comércio de armas.

 

A Rússia decidiu gastar 466 mil milhões de euros, nos próximos dez anos, em equipamento militar. O objectivo central é o de aumentar a capacidade de combate das forcas armadas, com uma atenção especial a ser dada às armas nucleares. Que conflitos possíveis estarão na base desta decisão altamente estratégica? Fica a pergunta. Sem que se saiba qual é a resposta.

 

Ao mesmo tempo, um certo número de países do Golfo Pérsico anunciou uma encomenda de 123 mil milhões de dólares em armamento. O fornecedor será os EUA. Desses Estados, a maior compra será feita pela Arábia Saudita - 67 mil milhões. Os outros compradores incluem os Emirados Árabes Unidos, o Kuwait e Oman. Neste caso, o inimigo declarado é o Irão. O objectivo é ter uma capacidade aérea que dissuada os iranianos. 

 

O comércio de armas está de vento em popa. O mesmo não se poderá dizer das questões do desenvolvimento.  

publicado por victorangelo às 20:50

twitter
Setembro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

17




<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO