Portugal é grande quando abre horizontes

10
Set 11

Terminamos a semana com muito ruído político mas sem ideias novas. Somos, cada vez mais, um país de frases ocas, que confundem grandiloquência com substância. Quem escreve, comenta e fala publicamente perde-se num estilo majestoso, que nada explica, nada propõe, nada resolve. 

 

O pior é que os portugueses se habituaram a gostar da eloquência das asneiras bem ditas. E os jornalistas e companhia ficam em adoracao perante umas tolices ditas por gente que já foi de peso e outros que se julgam importantes. É um jornalismo de boquiabertos.

 

Quando não zurramos de modo sublime, fazemos propostas tolas, como as um senhor que parece que por aí anda e que tem uma lista de instituições e serviços da administração pública que devem ser eliminados. O homenzinho confunde a poda com o desbaste, quando o que é de facto preciso é reformar a quinta do Estado. Cortar a rama é solução de quem não sabe fazer melhor ou tem medo do abate a sério.

 

publicado por victorangelo às 21:53

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


twitter
Setembro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9





subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO