Portugal é grande quando abre horizontes

13
Jun 12

A poucos dias da cimeira do G20, que se realiza na Baixa Califórnia, uma região mexicana de grande beleza natural na costa do Pacífico, a 18 e 19 de Junho, a crise da zona euro poderá focalizar todas as atenções dos participantes e deixar um espaço ínfimo, se deixar, para as outras grandes questões internacionais. 

 

Esta possibilidade está a criar tensões entre os BRIC e o México, de um lado, e a UE e os EUA, do outro. O Presidente Obama telefonou hoje ao fim da tarde a Van Rompuy e, segundo me dizem, a única questão discutida foi a crise europeia, os indícios de agravamento e os riscos de contágio. 

 

Para cúmulo, as informações que circularam, durante o dia, em Bruxelas, eram das mais contraditórias, quer em relação à atitude a tomar em relação à Grécia, no caso das eleições darem a vitória aos partidos que se opõem ao programa de ajustamento estrutural, quer ainda no que respeita aos procedimentos a seguir para aprofundar a "união bancária" e a "união fiscal".

 

Para acrescentar mais umas achas à fogueira, Francois Hollande recebeu em Paris os líderes da oposição social-democrática à Sra. Merkel...Ou seja, encontrou maneira de agravar a crispação entre Paris e Berlim, que já é bem evidente e profundamente contraprodutiva...

 

Com esse tipo de tensões, vai ser ainda mais difícil chegar aos acordos que se impõem de imediato, que o curto prazo exige.

publicado por victorangelo às 21:58

Qual é a sua opinião sobre a solução para a situação da Grécia, Portugal, etc..
Considera que a Grécia pode/deve sair do euro? O que acha do caso da Argentina? Escrevi isto há um tempo no meu blog: E se a Grécia sair do euro? >> http://boom-or-doom.blogs.sapo.pt/3365.html
Mais Um Economista a 14 de Junho de 2012 às 17:43

Gosto de ler o seu blog e dou-lhe os meus parabéns pela qualidade do mesmo. Faz bem ver um blog sério, bem pesquisado e sintético.

Tenho defendido que a Grécia não precisa de sair do ouro. Tem que cumprir o acordo. Se o não cumprir não há justificação política para continuar a apoiar financeiramente o país, no quadro do programa financeiro em vigor. Mas isso não leva à exclusão automática da Grécia da zona euro.

A Argentina ensina-nos algumas lições , é verdade. Mas atenção , a situação internacional hoje é diferente da que se vivia há 10 anos.

Cumprimentos, VA
victorangelo a 15 de Junho de 2012 às 21:10

twitter
Junho 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9


17

27


<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO