Portugal é grande quando abre horizontes

28
Nov 12

Há exactamente um ano, numa entrevista ao diário I, disse o seguinte:

 

“As sociedades em declínio, que vivem com os olhos postos nas glórias do passado, caem facilmente na tendência de se fecharem sobre si próprias. Para esses povos, a História acaba por pesar mais do que o futuro. As elites reaccionárias apropriam-se da tradição e dos preconceitos de outrora, e transformam-nos nas novas bandeiras do populismo. Assim surgem as agendas políticas nacionalistas.”

 

Infelizmente, um ano depois, se houvesse algo a acrescentar a estas palavras seria simplesmente um sublinhado…E esclarecer que se trata de uma condenação do ultranacionalismo, uma denúncia das ideias extremas. 

 

Digo-o com preocupação, claro. 

publicado por victorangelo às 21:36

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


twitter
Novembro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14




subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO