Portugal é grande quando abre horizontes

16
Jan 09

Ontem não deu para escrever. Foi tempo de visitas. 

 

Primeiro, uma delegação norueguesa conduzida pela Ministra da Defesa e incluindo um general e outros oficiais superiores, conselheiros políticos e diplomáticos, segurança pessoal e pessoal navegante. A Noruega vai fornecer à missão das Nações Unidas no Chade os serviços de uma companhia médica militar, durante todo o período da nossa intervenção no país.

 

A Noruega é uma nação rica e ao mesmo tempo generosa. A cooperação desse país com África é altamente apreciada.  Dá a Oslo um poder nas relações internacionais que é muito superior ao que seria de esperar de um pequeno país, perdido nos confins da Europa.

 

Depois, horas a fio com cerca de vinte deputados europeus, com assento em vários parlamentos nacionais, incluindo o francês, britânico, alemão, austríaco e belga. É importante falar com os representantes parlamentares, explicar os nossos objectivos na região que rodeia a crise do Darfur. Como também é de grande valor organizar estas visitas sobre o terreno, que permitem um melhor conhecimento  das realidades geopolíticas.

 

Embora os parlamentos nacionais estejam actualmente muito desvalorizados, a verdade é que os deputados podem desempenhar um papel de relevo, se tiverem a preocupação de o fazer.

 

 

 

 

 

publicado por victorangelo às 16:57

bem, eu adoro africa e antes queria viver no darfur, ao menos é o dito terceiro mundo, do q viver no primeiro mundo em crise.. é q as crises estao nas cabeças, n têm nada a ver c a geopolitica..
Isa_ a 17 de Janeiro de 2009 às 07:12

twitter
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

15




<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO