Portugal é grande quando abre horizontes

19
Jan 09

 

Agora que as moções partidárias e os congressos com vista 'a preparação das eleições irrompem como cogumelos depois das chuvas, conviria notar que a prioridade política em Portugal tem que ser a luta contra a pobreza, sobretudo a pobreza nos meios urbanos e das famílias com crianças por educar. Muito especialmente neste ano de grande crise económica.
 
O resto e' conversa de políticos que não têm os pés assentes na terra, como infelizmente e' a norma em Portugal. Mais, muitos dos nossos dirigentes não compreendem, nem nunca souberam, o que e' ser pobre num país como o nosso. São da classe média provinciana, ou da grande burguesia, ou então vivem com a mentalidade de funcionário burocrático, que e' tão típica das nossas gentes. Estão, e estiveram sempre,  desligados das pessoas que sofrem para sobreviver o dia-a-dia.
 
Como não se pode resolver tudo ao mesmo tempo, a definição das prioridades devera' ser uma preocupação fundamental dos senhores que se dizem líderes.
 
publicado por victorangelo às 13:18

odeio a democracia por causa disso: os eleitos sentem-se especiais, n respiram o mesmo ar q os outros!! acho q deviamos voltar ao tempo das oligarquias, em q um grupo governa outro maior mas, neste caso, misturando-se nele.. é q n é possivel q haja tantos parvos no poder! ou melhor, é possivel, mas n acredito q esse seja o verdadeiro poder.. e aí o barco encalha.. :)
Isa_ a 19 de Janeiro de 2009 às 14:25

twitter
Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

15




<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO