Portugal é grande quando abre horizontes

03
Fev 09

 

Portugal precisa de políticos credíveis. Não podemos aceitar o cinismo dos que dizem que os políticos são todos iguais. Temos que acreditar que e' possível ter uma classe política séria. 
 
publicado por victorangelo às 21:48

claro q sao todos iguais, até na maneira de vestir! :))
por mim levava força o bloco de esquerda! n é por nada, mas já há tempo demais q este pais tá feito num pantano, alternando entre ps e psd os quais, basicamente, se tornaram iguais! as politicas n mudam, é sempre a classe media q paga a factura, pois é ela q produz tanto p os ricos como p os pobres!!
eu adoro o BE, é pena q as pessoas n consigam ver a potencialidade deste partido!
na volta, o q faz mesmo falta é um golpe de estado!!!
as instituiçoes n funcionam, o país dorme na forma, as pessoas perderam (ou n kerem ter) o poder de lutar pelos seus direitos, só se dao conta da "realidade" atraves dos media, acreditam em tudo o leem e ouvem, n têm capacidade critica, reagem mal a novas ideias, n gostam de confrontos, n têm chama, n questionam, parecem lesmas!.. a pior inércia, qto a mim, é a inércia mental!!
Isa_ a 3 de Fevereiro de 2009 às 23:43

Já escrevia o poeta:
Ora, feitos estes reparos analíticos quanto ao estado mental dos nossos homens de talento, é inútil alongar este breve estudo, tratando com igual pormenor a maioria do escol. Se o escol do escol é assim, como não será o não-escol do escol? Há, porém, um característico comum a ambos esses elementos da nossa camada mental superior, que aos dois irmana, e, irmanados, define: é a ausência de ideias gerais e, portanto, do espírito crítico e filosófico que provém de as ter. O nosso escol político não tem ideias excepto sobre política, e as que tem sobre política são servilmente plagiadas do estrangeiro - aceites, não porque sejam boas, mas porque são francesas ou italianas, ou russas, ou o quer que seja. O nosso escol literário é ainda pior: nem sobre literatura tem ideias. Seria trágico, à força de deixar de ser cómico, o resultado de uma investigação sobre, por exemplo, as ideias dos nossos poetas célebres. Já não quero que se submetesse qualquer deles ao enxovalho de lhe perguntar o que é a filosofia de Kant ou a teoria da evolução. Bastaria submetê-lo ao enxovalho maior de lhe perguntar o que é o ritmo.
(Fernando Pessoa)
LFBT a 4 de Fevereiro de 2009 às 18:55

lol! :)
Isa_ a 4 de Fevereiro de 2009 às 22:21

eu vejo o ritmo nos acidentes da natureza.. se um rio n tivesse obstaculos, pedras e declives, n teria ritmo..
o ritmo é belo!
Isa_ a 4 de Fevereiro de 2009 às 22:31

twitter
Fevereiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9




<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO