Portugal é grande quando abre horizontes

01
Jul 15

Alguém que conhece bem o clima de negócios me dizia hoje que a economia portuguesa continua muito frágil. O consumo está relativamente fraco e não há investimento significativo nos sectores da produção de bens e no comércio. Existe, isso sim, um clima de espera, para ver onde irão parar as eleições de Outubro. Um clima que é acompanhado, em certa medida, pelo receio que as eleições possam trazer mais fragilidade. E mais desequilíbrios.

Ouvi e pensei nos grandes indicadores do dia: no facto do euro continuar estável em relação ao dólar, o que mostra um certo nível de confiança na moeda comum; na Itália, que ontem contraiu mais 6,8 mil milhões de euros de dívida pública, através de uma subscrição de obrigações a taxas relativamente baixas; e também no preço do petróleo e do ouro, que são dois grandes indicadores dos sentimentos económicos ao nível global; em ambos os casos, não vi alterações relevantes, indicando assim uma certa tranquilidade ao nível da economia internacional.

Depois, pensei na Grécia. E aí, sim, fiquei preocupado. Com a situação dos gregos, claro, mas também com o que as nossas fraquezas podem trazer como futuro para Portugal. Nestas coisas, quando se vê a casa dos vizinhos a arder é sempre bom aumentar o nosso nível de prevenção.

 

publicado por victorangelo às 21:44

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.


twitter
Julho 2015
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9

12
13

25

31


subscrever feeds
<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO