Portugal é grande quando abre horizontes

22
Mar 14

Portugal é o país, dos muitos que conheço, em que mais se ataca e insulta o Presidente da República. Independentemente da opinião política que se possa ter sobre Cavaco Silva, a verdade é que, numa democracia ocidental consolidada, não é compreensível uma situação como a nossa. E não é apenas nos blogs nem nas outras redes sociais que isso acontece. É igualmente na comunicação social profissional.

 

Uma coisa é o combate político. Outra, bem diferente, é a falta de respeito, ao nível mais primário, pelos titulares de órgãos de soberania. Sobretudo no caso da Presidência da República. Porquê? Porque neste caso, quem aí está passou por uma eleição geral – só não votou quem não quis – e ganhou por isso uma legitimidade institucional que os comentadores nunca conseguiram. Mais ainda. Alguns desses comentadores do bota-abaixo só ganharam notoriedade política e pública por terem feito uma carreira de yes-men nos respectivos partidos. Foram ministros e outras coisas semelhantes por não terem coluna vertebral. Outros ganharam-na porque uma parte da opinião pública portuguesa dá muito valor aos caceteiros profissionais.

publicado por victorangelo às 21:06

O senhor professor Cavaco Silva é o político (embora não se considere como tal) que esteve mais tempo no poder no período democrático. Exerceu funções políticas institucionais durante mais de vinte anos, cerca de metade desse período. Tirando o uso de linguagem usada, penso que pode ser criticado como qualquer cidadão, independentemente das funções que exerce. As pessoas passam e as instituições ficam e não se devem confundir. Tenho sido crítico do senhor Presidente. Defendo que tem exercido o seu cargo em favor de uma determinada facção política à qual se encontra ligado. Aliás, começou mal o seu mandato quando tudo fez para fazer cair um governo eleito, mostrando até um certo revanchismo. A título de exemplo lembro que, na altura, dizia que não eram toleráveis mais sacrifícios. E agora? Esta é apenas uma pequena amostra do que merece crítica na minha perspectiva e com a qual pretendo ilustrar a minha discordância com a defesa que costuma fazer, com toda a legitimidade, do senhor Presidente.
Cumprimentos
Naçao Valente a 22 de Março de 2014 às 23:47

Caro Amigo,

Apreciei muito o seu comentário ao meu escrito.

As suas observações sobre o político que é hoje Presidente -ninguém chega à presidência se não for um político até ao tutano e com muitos anos de vida pública, a fazer política e a criar redes de influência - são um exemplo de como se pode estar contra um titular de um cargo institucional, criticar as suas opções e ao mesmo tempo fazer essas críticas de modo sensato e sem injúrias.

Se todos fossem assim, não haveria razão para eu escrever o que escrevi.

Mas o meu Amigo sabe que assim não é. Conhece, por exemplo, algum país democrático que trate, na comunicação social, o chefe de Estado por "pulha" e outras coisas assim?

E mais exemplos lhe daria, mas o meu Amigo sabe do que falo.

Fico sempre contente por saber que posso contar com as suas observações atentas.

Com amizade,

VA

victorangelo a 23 de Março de 2014 às 09:11

twitter
Março 2014
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9


29



<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO