Portugal é grande quando abre horizontes

08
Jun 16

Alguns dos meus amigos portugueses ainda não entendem – nem querem ver – a fragilidade que caracteriza o sistema bancário do nosso país. Mais ainda, parecem não querer acreditar que uma boa parte dessa crise, visível já ou que se anuncia, resulta de gestão irresponsável, e mesmo danosa, de muitos dos que têm estado à frente dos bancos nacionais. Várias formas de compadrios, incluindo políticos e maçónicos, estão na origem da precaridade financeira actual.

O mais interessante é ver como a comunicação social passa ao lado da questão. Não é, contudo, uma surpresa. Os nossos grupos informativos, donos dos jornais e das televisões, estão também eles profundamente endividados e sinceramente gratos por haverem beneficiado da generosidade irresponsável, compadre e amiga dos bancos que temos.

No fundo, estas coisas estão um bocado ligadas. O enredo é grande e propositadamente silencioso.

publicado por victorangelo às 20:14

twitter
Junho 2016
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

13
17

19
22
25

26
28
30


<meta name=
My title page contents
mais sobre mim
pesquisar
 
links
blogs SAPO