Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Vistas largas

Crescemos quando abrimos horizontes

Vistas largas

Crescemos quando abrimos horizontes

Para além da quarentena

Ficará para a história que os governos dos países mais desenvolvidos foram apanhados de surpresa pelo novo coronavírus. Para além de outras falhas em equipamentos e materiais sanitários, não havia reservas estratégicas de máscaras, que pudessem ser distribuídas às populações, para evitar a propagação da epidemia. Ora, isso haveria feito toda a diferença. Uma reserva desse tipo teria custado alguns milhões de euros, poucos. Uma ninharia, quando comparada com os custos que agora estão em causa. Por outro lado, não existia capacidade para as produzir em quantidades maciças. Dizia-se que se estava em guerra, mas a economia não foi reorientada para combater essa guerra, ou seja, para produzir de imediato os meios de protecção necessários para evitar a expansão do “inimigo”. Guerras passadas, incluindo a Segunda Grande Guerra, haviam-nos ensinado a mobilizar todos os recursos para o esforço de combate. Esquecemo-nos, entretanto, dessa lição.

Recorreu-se, assim, à velha opção medieval, que era a da quarentena, do recolher obrigatório e do fecho de fronteiras. Exactamente como os nossos antepassados fizeram várias vezes, por não disporem de outros meios. E enquanto se procedia, com unhas e dentes e muitos polícias, a essa medida drástica, não se mexia na indústria, nem na produção das “armas” que este inimigo exigia. Vários países europeus vão sair do período de quarentena timidamente, por saberem que os meios de combate continuam a ser fracos. Prometem, entretanto, injectar na economia somas astronómicas, que ainda não existem e para as quais não se definiram as modalidades de desembolso. Nalguns casos, naqueles em que o dinheiro vai de facto circular, estar-se-á a tapar buracos, mas sem perspectivas de continuidade, sem que esses fundos representem um investimento produtivo.

Ainda não se pode prever qual será a situação dentro de algum tempo. Mas posso dizer que continuaremos com os mesmos políticos, bons palradores mas curtinhos de vistas, que se esqueceram da velha máxima que governar é prever e precaver. E acrescentarei que estaremos mais pobres, sobretudo os que vivem da economia privada, das pequenas empresas, das profissões liberais, dos empregos precários, bem como dos serviços de hotelaria, restauração e turismo, dos transportes e da aviação, da comunicação social e das pequenas lojas de comércio não-alimentar.

A pobreza é má conselheira. E a nova pobreza vai ser certamente aproveitada por todos os extremistas e populistas, para tentarem marcar pontos. Vão jogar com o medo e os traumas que se acrescentarão às dificuldades económicas. E acenar as bandeiras do nacionalismo.

Vamos ter que dizer que não a essas gentes.

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

<meta name=

My title page contents

Links

https://victorfreebird.blogspot.com

google35f5d0d6dcc935c4.html

  • Verify a site
  • vistas largas
  • Vistas Largas

www.duniamundo.com

  • Consultoria Victor Angelo

https://victorangeloviews.blogspot.com

@vangelofreebird

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D